segunda-feira, 25 de abril de 2011

Visita ao Museu Berardo no CCB

A ida ao Centro Cultural de Belém teve como finalidade uma visita guiada à exposição Mappa Mundi patente no Museu Berardo.
A exposição mostra mapas do mundo numa mistura de cultura e arte, podendo assistir-se a representações e transfigurações de mapas do mundo pelos olhos de artistas plásticos americanos e europeus.

Adorei a variedade de culturas, bem como a diversidade de técnicas artísticas, em que mesmo as usadas ao longo das várias épocas sofrem uma transformação...
Aqui está representado o oceano Atlântico, com as diversas culturas que o rodeia,representadas com as respectivas cadeiras.


Aqui temos algumas maquetes do mapa mundo

Em várias dimensões

Podemos observar numa pintura a ferida feita no mundo, que vai sarando lentamente...


Temos ao longo da exposição diversas formas de arte com a representação do mundo.

Observamos curiosamente a superfície terrestre representada por uma escavação em folhas de papel...


Aqui observamos um chinês que resolveu tatuar no seu corpo o percurso feito durante uma viagem




Esta foi uma das minhas preferidas, um artista resolveu fazer o contrário do que fazemos habitualmente, gravou o seu percurso com o GPS e projectou para o papel, lindíssimo...


Termino a demonstração da minha visita com alguns professores que nos acompanharam:


E nós claro, o grupo, enorme, mas eu não estou :)

MORA

CONCELHO MORA

Mora é uma vila portuguesa, no Distrito de Évora, com cerca de 2 800 habitantes.
O concelho recebeu foral de D. Manuel I em 1519.
O concelho de Mora possui vários sítios que poderás visitar.
Deixo aqui algumas sugestões:

Torre das Águias


Anta de Pavia, transformada em capela de São Dinis


Igreja Matriz de Pavia


Cromeleque do Monte das Fontaínhas Velhas


Santuário da Senhora das Brotas


Pelourinho de Cabeção


Fluviário de Mora


O Fluviário de Mora situa-se na freguesia de Cabeção, também no concelho de Mora, junto ao Parque Ecológico do Gameiro e abriu as suas portas no dia 21 de Março de 2007. Constituído por diversos aquários de água doce onde se podem observar diversas espécies animais e vegetais, que vivem nestes meios.
É também uma grande atracção no concelho de Mora

Depois do passeio vamos aos sabores… carregar baterias…

Pratos Típicos que podem ser saboreados nos restaurantes do concelho
• Cabrito no Forno
• Lombinhos de Javali
• Migas de Espargos
• Sopa de Achigã
• Sopa de Cação
• Ensopado de Borrego
• Borrego Estufado
• Febras Recheadas
• Arroz de Lebre

LOCALIZAÇÃO NO MAPA

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Visita de estudo ao Centro Cultural de Belém

Os formandos dos cursos EFA da Escola Secundária Leal da Câmara realizaram uma visita de estudo no dia 3 de Abril ao Centro Cultural de Belém.
A visita ao Museu Berardo, mais concretamente à exposição "Mappa Mundi", foi agradável.

Iniciámos com...

Em que a imagem da direita significa a divisão do mundo devido ao colonialismo.


O aspecto mais interessante da visita foi...


uma imagem projectada no chão e que estava em constante mudança, resultante de umas câmaras posicionadas no piso superior do museu.








No decorrer da visita, fora mostradas inúmeras obras que tinham como ponto de vista a nossa posição no mundo.

Aqui, observamos o mar Mediterrâneo no espaço central e em torno deste existem vários tipos de cadeiras representantes dos diversos países banhados por este. As cadeiras estão viradas para o centro, de modo a que quem se sente lá, possa ter contacto visual com todos - diálogo intercultural?




O conjunto de obras mais interessantes foram as de um artista chinês que inscreveu o mapa de China nas suas próprias costas, assinalando cada local visitado com uma tatuagem feita no momento.


A finalizar, na exposição havia uma sala completamente pintada de azul e à partida poderíamos pensar que não tinha qualquer significado, mas quando a guia nos explicou que o azul significava o mar, nessa altura percebemos como nos sentimos pequeninos no meio de tanta "água".

Comentário da visita de estudo ao CCB

No dia 3 de Abril a Escola Secundária Leal da Câmara organizou uma visita de estudo para os formandos do curso de contabilidade , bem como para outras turmas dos cursos EFA no Centro Cultural de Belém. Dentro do edifício dirigimo-nos ao Museu Berardo para uma visita guiada à exposição "Mappa Mundi".

Foi um grupo bastante considerável de formandos e formadores.
Achei a visita muito interessante , isto porque pude ver e saber através da guia de como os Mapas eram feitos no tempo das descobertas e pensar as mobilidades.

Fiquei impressionado com as explicações da guia sobre o Mapa que tinha a ferida devido ao colonialismo e que nos dia de hoje ainda está a sarar. Um dos artistas teve uma imaginação espetacular ao utilizar o mapa de Belém e pô-lo a rodar sobre um berberquim e projectá-lo com várias câmaras de filmar.

Resumindo e concluindo: a visita foi muito frutuosa.

Visita de estudo ao Museu Berardo (CCB)

A visita de estudo à exposição "Mappa Mundi " patente no Museu Berardo do CCB foi realizada no âmbito da unidade 6 de CLC para ficarmos a saber mais sobre mobilidade e configurações do mundo.

A visita foi inportante para nós, pois levou-nos a reflectir sobre o mundo de hoje e do passado, e a sabermos um pouco mais sobre as diferentes culturas de cada país. Assim, vimos a grande ferida que tinha o nosso planeta devido à colonização, mas que vai sarando aos poucos.

Vimos também o vestido que uma artista holandesa fez com imagens de vários continentes, e também uma coisa que me chamou mais a atenção foi a maneira como interpretamos várias línguas e os seus impactos depois da tradução.

Fico grato por fazer parte deste grupo e de ter ido ver este "Mappa Mundi".

Visita de estudo ao CCB

Centro Cultural de Belém

A visita à exposição "Mappa Mundi" foi realizada no âmbito no unidade 6 de CLC com o objetivo de sabermos mais sobre as questões da moblidade e representações do mundo.
A visita foi acompanhada por uma guia, que nos informava acerca das obras expostas.

Assim, falava sobre as diferenças entre as culturas e também nos mostrou algo que me impresionou muito: a engenhoca que permitia projectar numa outra sala imagens da zona de Belém. O que mais gostei foi de ver aquelas imagens a girarem com a ajuda de um berbequim e com o auxílio de focos e câmaras de filmar a toda a volta.

Concluo afirmando que gostei da visita à exposição, incluindo a apresentação desta.

Visita ao Museu Colecção Berardo

A visita de estudo ao CCB  foi programada no âmbito da unidade 6 de CLC, com o objectivo de sabermos mais sobre as questões da Mobilidade e das Configurações do Mundo. Esta visita foi guiada e tivemos uma boa percepção das principais obras de arte que o museu tinha nesta exposição.

A guia falou-nos que o debate sobre a Cartografia surgiu da necessidade do homem poder retratar, desenhar em pormenor os factos que aconteceram ao longo da história, sendo que vários artistas destacaram-se na época contemporânea. Recordo que cada um dos artistas apresentou uma obra de arte a pensar sempre no universo moderno, pleno de desafios que convidam os mais curiosos a estarem atentos.

Observei várias obras dos artistas nacionais e internacionais, mas o que mais me interessou foram as obras de um artista francês que recortou jornais e fez um mapa da cidade que representa o caminho de ferro da França em letras pequenas.
Também observei uma obra em que uma artista brasileira
 recortou um livro ("Cidades Invisíveis") em pequenas fitinhas com nomes da rede rodoviária e fez o mapa de uma cidade imaginária. Outra artista holandesa que construiu um vestido com figuras de mapa do mundo... e o usou!


Curioso foi igualmente observar as duas obras em espelho, uma para o sexo feminino e outra para o masculino, contendo mapas da Europa, em que estavam inscritas palavras consideradas obscenas nas línguas locais.






Por último, o jovem chinês
que tatuou nas costas o mapa da China em tempo real e em cada local visitado.


Gostei muito de ver a exposição do mapa que representava o mar Mediterrâneo através de um enorme espelho que estava no centro, e à sua volta estavam diferentes cadeiras reprentativas dos diferentes países e culturas.Também me chamaram a atenção outras imagens do mundo e considero que esta visita foi muito interessante.

Visita à Herdade do Freixo do Meio

Na Herdade do Freixo do Meio efectuam visitas para grupos até 30 pessoas. A visita tem a duração de uma manhã ou tarde e inclui visita à exploração, monte principal, pecuária, produção das hortícolas, unidades de transformação, loja, etc. Dão uma explicação sobre a estratégia da empresa, a agricultura biológica e outras questões que desejem ver tratadas com maior profundidade.

Pode ainda ser preparado um almoço para grupos com um mínimo de 10 pessoas e mediante marcação prévia com uma antecedência mínima de 15 dias. Este, em geral, consiste num cozido, cozinhado em panelas de barro e em lume de chão e é acompanhado por entradas,
pão, vinho, azeitonas e outros produtos produzidos na herdade do Freixo do Meio em Modo de Produção Biológico. No entanto, todas as visitas e refeições a combinar podem ter um programa e ementas mais ajustadas às necessidades e interesses do grupo.

Fazem ainda actividades com burros, a combinar caso a caso e que podem incluir uma caminhada acompanhada pelos animais, cuidar e alimentá-los ou montá-los, andar de carroça com a mula, etc.

 O percurso pode ser efectuado livremente sem qualquer custo a não ser que o grupo pretenda ser acompanhado por um guia.Uma vez que o percurso tem a forma de um 8, com centro no monte principal da herdade, é possível percorrer apenas uma parte do mesmo ou apanhar aí os colegas caminheiros atrasados.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Apresentação da Herdade do Freixo do Meio

A Herdade do Freixo do Meio é um espaço de 650 hectares situado perto de Montemor-o-Novo, no Alentejo, onde predomina a preocupação pelo meio ambiente e pela produção no tempo certo.
A Herdade tem como objectivo principal manter a Agricultura Biológica e o Desenvolvimento Sustentável, ao executar uma gestão eco-eficiente, minimizando os impactos ambientais e usando de forma racional e inteligente os recursos naturais.
Eis alguns exemplos daquilo que a herdade produz:
- No sector da agricultura: arroz, tomate, pimento, azeitona e cogumelos;
- No sector da pecuária: porcos, vacas, ovelhas, perus e cabras.
A Herdade está inserida  numa vasta planície de fazem parte os sobreiros.
A herdade também recolhe a água das chuvas e recicla óleo vegetal.
Também tem uma loja onde vende pasta de azeitona, azeitonas em conserva, biscoitos à base de bolota, e arroz, entre outros produtos com a marca de qualidade da herdade, pois é produzido e confeccionado lá.


Montemor-o-Novo: local a visitar

A ocupação humana deste local deverá remontar a um castro pré-histórico romanizado, conforme os testemunhos arqueológicos. Aqui confluiam as estradas romanas de Santarém e da foz do rio Tejo, seguindo, por Évora, até Mérida. O local teria sido, por esta razão, fortificado. Séculos mais tarde, na época da invasão muçulmana da Península Ibérica, o nome de Al-Mansur permaneceu, na região, na toponímia da ribeira de Almansor. Alguns afirmam que existiu ainda uma fortificação muçulmana. Castelo de Montemor-o-Novo

Um evento na Herdade do Freixo do Meio

Para saber mais, clique aqui

Montemor-o-Novo: um concelho a visitar


Montemor-o-Novo é uma cidade portuguesa, no Distrito de Évora, região do Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com cerca de 12 298 habitantes (dados de 2004) . É sede de um dos maiores municípios de Portugal, com 1232,10 km2 de área e está subdividido em 10 freguesias.


HISTÓRIA:
A cidade de Montemor-o-Novo - sede de concelho, povoação de origem muito antiga, situava-se inicialmente na parte interior da muralha do Castelo, expandindo-se posteriormente pela encosta virada a norte, onde actualmente se localiza. O concelho recebeu forais dos reis D. Sancho I (1203) e de D. Manuel (1503) e teve um importante papel no combate à ocupação castelhana (1580 - 1640) e durante as invasões francesas (início do séc. XIX). A época do apogeu de Montemor-o-Novo foram os séculos XV e XVI, em que à prosperidade trazida pelo comércio se aliava o facto de a corte permanecer por largos períodos em Évora, o que tornava a vila palco frequente de acontecimentos políticos de relevo, com a realização de cortes e a permanência do rei no Paço dos Alcaides.